outubro 10, 2005

Empurrar com a barriga

...
Adormeço a pensar no Valentim Loureiro e na Fátima Felgueiras. Adormeço preocupado com as expressões de preocupação de jornalistas e comentadores dos meios de comunicação portugueses. Reacendo a luz e vejo o noticiário da BBC World. Acordo sem me preocupar com o Valentim Loureiro e com a Fátima Felgueiras. Acho muito bem que as pessoas votem em quem querem, não em quem os jornalistas e os comentadores acham bem. Assim como assim, prefiro autarcas corruptos sob investigação a autarcas corruptos por investigar. Um dia os jornalistas portugueses vão perceber que a realidade não está nas manchetes mas nos classificados.



John Vink


Acordo a pensar em Melilla. Há países que não vêm no mapa. De repente, os direitos humanos são uma questão menor, o importante é transformar a Europa numa Alcatraz. Quanto tempo passará até aquela massa humana optar por medidas mais drásticas? O mais importante nunca é saber para onde se vai mas saber de que é que se foge. Quanto tempo até a Europa imputar aos refugiados africanos a famosa lógica do mal? O Ocidente finge perceber as coisas sempre demasiado tarde e depois, claro, é mais fácil falar num choque de civilizações. Alguém sabe se o número de mortos do furacão Stan, que varreu a América Central, causou mais mortos do que o Katrina em New Orleans? O sismo de sábado na Ásia causou seguramente mais de 20.000 mortos mas, enfim, não ocorreu em New Orleans...
...

6 comentários:

um estranho disse...

e portanto não é noticia.

um estranho disse...

O choupinho (ex) na Costa da Caparica diz-te alguma coisa? Há muitos anos atraz, muitos não, alguns.

Baggio disse...

Hã? Não, não.

um estranho disse...

Desculpa :)
Foi um comentario teu sobre o "baterista" da Filarmonica, fiquei na duvida.

M disse...

Acordo a pensar que felizmente ainda existem pessoas que adormecem a pensar e acordam a pensar.

Duarte Valente disse...

Sem querer ser chato, gostava só de assinalar que Melilla não é um país mas sim uma enclave espanhola em África tal como Ceuta(onde aconteceu o mesmo).