novembro 07, 2005

As veias entupidas

...

Lisboa, 2005


«O coração é um caçador solitário». Quase sempre desarmados e sem munições, são presas fáceis e indefesas. São estúpidos e patéticos: metem pena. Quantos corações batem, sem pressa, já muito depois de mortos? Sempre com as meias rotas, nunca vão muito longe, num andar curvo a um ritmo descompassado. Correm atrás do vento e deixam-se agarrar (que cabeças no ar!). Tanta tristeza faz-lhes tanto mal.
...

5 comentários:

M disse...

Tou est dangereux ici-bas et tout est nécessaire.

voltaire

A.na disse...

"...acordo
para a cegante claridade das ondas...Quero morrer com uma overdose de beleza
e num sussurro o corpo apaziguado perscruta esse coração,esse solitário caçador."
Al Berto

um estranho disse...

Sabes que há corações que parecem muito frágeis e na hora H se comportam como verdadeiros leões?
Verdade, superam tudo, ate as artérias que lhes pregam partidas. Bombeiam com mais força sempre que é preciso.
Grandes Corações esses!


e depois ha os outros que de tao parecidos parecem um só.

M disse...

*tout

mariana disse...

"Vai (só) até onde o silêncio trocou a solidão pela vontade de voar. [Dou-te as minhas dores] - disse. E o anjo respondeu: [ voa.].
Consta que nunca mais apareceu..."
Maria Amaro